02.01.2014

Grandes Marcas da Moda na Mira da Sustentabilidade

Greenpeace Italiano divulgou uma lista de marcas famosas e um ranking sobre a falta de uma política ambiental adotada por elas. Ditadoras de tendências no mundo todo, muitas marcas não se propõem a desenvolver processos livres de produtos químicos e desmatamento ilegal, ameaçando diversos habitats ao redor do mundo.

Qual é o problema?

Através da produção de couro, diversas áreas são desmatadas ilegalmente para criação de gado e produtos tóxicos contaminam a água e o solo. A indústria de couro está destruindo a Amazônia pelo desmatamento ilegal e desenfreado com a criação de gado. A celulose para produção de embalagens destrói as florestas indianas, habitats dos últimos tigres Sumatras. Rios e lagos no México e na China são envenenados por produtos tóxicos para produção de tecidos.

Em busca de um guarda-roupa “limpo e verde”

O ranking Duelo da Moda, imposto pelo Greenpeace Italiano, propõem uma disputa entre as marcas para definir qual é a mais sustentável. Estas foram convidadas a responder 25 perguntas sobre Políticas de Compra de Couro, de Compra de Papel e Celulose, e Produção de Tecidos.

Apenas uma marca (Valentino) se saiu bem colocada, provando suas políticas de cuidado ecológico. 7 marcas (Armani, Dior, Gucci, Louis Vuitton, Ermenergildo Zegna, Versace, Ferragamo) tiveram um resultado fraco, pois são parcialmente comprometidas com o destino aos seus resíduos e a garantia de políticas contra o desmatamento. Roberto Cavalli teve um resultado fraco, e não garantiu que possuía uma política para defesa do meio ambiente. Pior do que isso, 6 marcas (Ferretti, Chanel, Dolci & Gabbana, Hermes, Prada e Tussardi) se recusaram a responder a pesquisa e não deram explicações sobre sua produção.

O que fazer?

site

O Greenpeace agora planeja pressionar estas grandes marcas á adquirirem uma política ambiental satisfatória, e se tornarem referência em cuidados com o meio ambiente e na produção de produtos da área. O consumidor pode ajudar, assinando uma petição através do Facebook ou E-mail, e entrar em contato diretamente com as marcas para que a indústria da moda se comprometa a limpar seus produtos.

  • Por Bibi De Carli

    Designer Gráfica e Digital, trabalhou como Diretora de Arte e Produtora Gráfica em agências de Publicidade. Pós-Graduada em Marketing Online e Mídias Sociais, hoje trabalha como Freelancer e decidiu criar um blog para juntar seus interesses por design e inspiração em um só lugar. :)